Unidade de Saúde Pública determina medidas de isolamento profiláctico para cidadãos que regressam do estrangeiro e de outras zonas afetadas
BOTICAS, 2020-03-20 11:26:29

Unidade de Saúde Pública determina medidas de isolamento profiláctico para cidadãos que regressam do estrangeiro e de outras zonas afetadas


Unidade de Saúde Pública determina medidas de isolamento profiláctico para cidadãos que regressam do estrangeiro e de outras zonas afetadas

Tendo em conta o grande número de emigrantes e residentes noutras zonas do país que nos últimos dias têm chegado à região do Alto Tâmega, e como medida de contenção à propagação do COVID-19, a Unidade de Saúde Pública do Alto Tâmega e Barroso (USP-ATB) emanou uma directiva que determina o isolamento profiláctico dos cidadãos que regressam do estrangeiro e de zonas do país onde há mais casos concentrados.

Ficam aqui transcritas essas diretrizes:

“Isolamento profiláctico dos cidadãos que regressam do estrangeiro

1 — A infecção pelo novo coronavírus (COVID-19) é uma pandemia que tem, actualmente e segundo a Organização Mundial da Saúde, o seu principal foco na Região Europeia, com destaque para Itália, Suíça, Espanha, Alemanha e França. Portugal, de acordo com a mais recente avaliação de risco do Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças, permanece numa situação de introdução múltipla e transmissão local limitada, com o maior número de casos concentrados nas Regiões Norte e de Lisboa e Vale do Tejo. Na Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), até à data, não foram notificados casos confirmados de COVID-19. Assim, importa proteger a saúde da população da CIMAT da introdução do agente responsável pela COVID-19, por todos os meios ao nosso dispor.

2 — A via de transmissão principal é o contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus, ou superfícies e objetos contaminados. O período de incubação (até ao aparecimento dos sintomas) é, na vastíssima maioria dos casos, inferior a 14 dias. Assim, o isolamento profiláctico dos casos de risco durante 14 dias é a medida de contenção mais eficaz, estando recomendada nas Orientações da Direcção-Geral da Saúde.

3 — Está a observar-se o regresso de cidadãos à CIMAT, sejam emigrantes, sejam trabalhadores noutros pontos do país, situação que está a gerar algum alarme social, tendo em conta o risco destas pessoas poderem ser agentes da introdução do SARS-CoV-2 na comunidade residente na CIMAT.

 4 — A população da CIMAT, pelas suas especificidades demográficas, designadamente o acentuado envelhecimento populacional, é particularmente susceptível à COVID-19, tendo em conta o padrão de mortalidade desta doença, mais elevado em pessoas idosas. Por outro lado, a baixa densidade populacional e a elevada dispersão geográfica do território da CIMAT dificultam o acesso aos cuidados de saúde.

5 — Nos termos constitucionais, o estado de emergência suspende o exercício de determinados direitos, liberdades e garantias e confere às autoridades competência para tomarem as providências necessárias e adequadas ao pronto restabelecimento da normalidade e pode ser declarado em caso de calamidade pública de menor gravidade, no respeito pelo princípio da proporcionalidade. Decreto do Presidente da República n.º 14-A/2020, de 19 de Março, suspende os direitos de: deslocação e fixação em qualquer parte do território nacional; propriedade e iniciativa económica privada; direitos dos trabalhadores; circulação internacional; reunião e de manifestação; liberdade de culto, na sua dimensão coletiva; e resistência.

6 — As autoridades de saúde, nos termos do Decreto-Lei n.º 82/2009, de 2 de Abril, na sua redacção actual, asseguram a intervenção oportuna e discricionária do Estado em situações de grave risco para a saúde pública, podendo utilizar todos os meios necessários, proporcionais e limitados aos riscos identificados que considerem prejudiciais à saúde dos cidadãos ou dos aglomerados populacionais envolvidos.

7 — Considerando o anteriormente exposto, determino:

a) Que todos os cidadãos entrados na CIMAT desde o dia 6 de Março de 2020, bem como todos aqueles que venham a entrar enquanto vigorar o estado de emergência em Portugal, sendo provenientes dos países ou regiões identificados no número 1 do presente despacho e venham previsivelmente a permanecer na CIMAT por um período prolongado, se recolham em isolamento profilático (quarentena) obrigatório pelo período de catorze dias a contar do dia de chegada;

b) Que o isolamento profiláctico obrigatório seja cumprido no domicílio, ou, sendo isso manifestamente impossível, em local a designar pela Protecção Civil;

c) Que, durante o isolamento profiláctico, sejam observadas as medidas de autovigilância recomendadas no anexo a esta determinação;

8 — A não observação desta determinação é punível nos termos dos artigos 283.º e 348.º do Código Penal.

O Delegado de Saúde Coordenador

António Gomes”

Tags

Tempo   Boticas Fashion   Nadir Afonso   Conselho Local de Ação Social   Aventura no Barroso   Vespa das Galhas do Castanheiro   Confraria     Heróis da Fruta   Protecção Civil   Dia do Homem   Educação   Boticas Parque   CIM do Auto Tâmega   Comissão Municipal de Defesa da Floresta   Forúm Boticas   CPCJ   Museu Rural   Cultura Popular   Concurso Pecuário  

Últimas

S. Cristóvão no rio lembra festas do Concelho

S. Cristóvão no rio lembra festas do Concelho

Comissão Distrital de Proteção Civil solicitou reforço de equipas de vigilância

Comissão Distrital de Proteção Civil solicitou reforço de equipas de vigilância

Visita à barragem de Daivões

Visita à barragem de Daivões

Declaração da Situação de Alerta face ao agravamento do risco de incêndio rural

Declaração da Situação de Alerta face ao agravamento do risco de incêndio rural

Jovens vigiam florestas do Concelho

Jovens vigiam florestas do Concelho

GD Boticas certificado como Entidade Formadora de 3 Estrelas

GD Boticas certificado como Entidade Formadora de 3 Estrelas

Declaração de Situação de Alerta de Risco Máximo de Incêndio Rural

Declaração de Situação de Alerta de Risco Máximo de Incêndio Rural

Sorteio do Programa “Viver Boticas”

Sorteio do Programa “Viver Boticas”